12
Oct
2016

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, elogia o início de um diálogo inclusivo entre as partes desavindas na crise política guineense. O encontro está a ser realizado em Conacri e conta com a presença da sociedade civil e comunidades religiosas guineenses

Em nota enviada à Rádio Sol Mansi (RSM) pelo gabinete de imprensa da agência da ONU na Guiné-Bissau, Ban Ki-moon, através de o seu porta-voz, adianta que este diálogo é um primeiro passo decisivo na implementação do roteiro da Comunidade Económica dos Estados de África Ocidental (CEDEAO) para acabar com a crise política que persiste há mais de um ano.

“Todas as partes a envolverem-se em discussões construtivas, a fim de realizarem juntos, avanços decisivos nos próximos dias, no sentido de acabar com o impasse político vigente no país desde agosto de 2015”, pede o chefe da ONU que agradece o Presidente da República da Guiné-Conacri, Alpha Condé, e igualmente mediador da CEDEAO para a Guiné-Bissau, por acolher as partes e de liderar o “esforço regional” de implementar o regulamento rapidamente.

Entretanto, segundo a mesma nota que a RSM tem acesso, o secretário-geral da ONU pediu ao seu Representante Especial e Chefe do Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS), Modibo Ibrahim Touré, para continuar a cooperar estreitamente com todas as partes interessadas na Guiné Bissau.

Esta colaboração de Modibo é realizada em estreita com a CEDEAO, a União Africana e os parceiros-chave, incluindo a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e da União Europeia, nos seus esforços para a estabilidade política na Guiné-Bissau.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più