Um cidadão nacional e activista social considera de crime social, o facto de alguns proprietários das viaturas privadas estarem a substituir os transportes interurbanos durantes este período do estado de emergência

Desde o anúncio dos primeiros casos positivos da Covid-19 no país, em 25 de Março do ano corrente, as autoridades nacionais restringiram as circulações e interditaram todas as ligações dos transportes interurbanos, assim como os mistos para conter a propagação do coronavírus no país.

Em entrevista, hoje (20), à Rádio Sol Mansi, Bubacar Candé, que também é um do responsável dos assuntos sociais da União Nacional dos Imames da Guiné, disse que estas viaturas que agora substituem de forma clandestina os transportes públicos, cobram o preço mais elevado em relação ao preço normal que dantes era pago sobretudo nos transportes interurbanos, sem no entanto avançar com o montante.

“Todos os transportes públicos estão proibidos de circular, mas o mais crítico de tudo é que agora as viaturas privadas passam a substituir os toca-tocas e táxi [transportes interurbanos] e ainda cobram mais caro do que dantes. Por isso peço a intervenção das autoridades, ou seja, que autorizem a circulação dos transportes públicos mesmos com lugares limitados, porque o que está a acontecer com as viaturas privadas é um crime social”, sustenta.

Sabe-se que as viaturas privadas cobram de 500 a mil francos para deslocação dentro de Bissau. Para o interior, o preço avaria de 4 mil aos 10 mil francos CFA dependendo da localidade.

Ontem (19), o Presidente da Republica, Umaro Sissoco Embalo, depois de presidir a reunião da Comissão Interministerial criada para trabalhar na prevenção do vírus, revelou que o país vai sair do estado de emergência, adaptando uma nova realidade sobre a prevenção do coronavírus no país.

“Vamos adoptar uma nova realidade e o que vimos nos outros países, decidi criar um alto comissariado para a Covid-19, e os ministros têm que tomar em conta os ministérios, e vamos sair do estado de emergência se calhar, mas também é um momento de retorno conforme a situação vai diminuir”, revelou.

A quarta fase do estado de emergência decretado pelo Presidente da Republica no âmbito da prevenção do novo coronavírus vai terminar na próxima, segunda-feira, 26 do mês em curso.

Igualmente, o chefe do governo, Nuno Gomes Nabiam, na sua página da rede social Facebook, disse que os desafios que têm pela frente sobre a Covid-19, exigem o engajamento de todos e ele enquanto Chefe de Governo terá necessariamente de tomar decisões importantes em matéria da "Guerra" de des-confinamento, abrir a economia, o comércio, o transporte ainda que sob determinadas condições.

Entretanto, apesar de solicitar a autorização da circulação dos transportes públicos, Bubacar Candé exorta a população à acatar todas as orientações deixadas pelas autoridades sanitárias sobre a existência e como prevenir o coronavírus.

O balanço feito ontem pelas autoridades sanitárias, sobre evolução do coronavírus, há seis (6) mortos por Covid-19, mil e trinta e oito (1038) números dos infectados e quarenta e duas (42) pessoas considerados recuperados da doença no país.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Braima Sigá

Imagem: Braima Sigá / Cortesia Albano Barai

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più